"Fizemos embalagens novas e mais simples para o consumidor final. Em vez de 'hidrofóbico', por exemplo, usamos 'que repele água'", diz Marcos Allemann, vice-presidente de tintas imobiliárias da BASF para a América do Sul.">
 
 

Notícias do setor

Tinta fresca

Folha de São Paulo, Mercado Aberto, 24/mai

A Suvinil investiu R$ 40 milhões para reposicionar sua marca e mudar o seu logotipo.

"Fizemos embalagens novas e mais simples para o consumidor final. Em vez de 'hidrofóbico', por exemplo, usamos 'que repele água'", diz Marcos Allemann, vice-presidente de tintas imobiliárias da BASF para a América do Sul.

Além do aporte feito em pesquisa com clientes sobre hábitos de consumo, a empresa alocou recursos em lançamentos, como um esmalte branco que não amarela com o tempo, um contra ferrugem, que dispensa fundo e outro que dá efeito lousa colorida.

O setor, que teve queda de 17% em volume de vendas em 2015 e 2016, começou a se recuperar no segundo semestre do ano passado, quando fechou 0,5% positivo. No primeiro trimestre de 2018, subiu 2%.

A perspectiva é crescer ligeiramente acima do PIB. "Se for alta de 2,5%, ficaremos em 2,5%. As vendas devem acelerar nos próximos meses.

O novo logo evocará mudanças. "Com tipologia mais moderna, ilustra camadas de tinta que colocamos nas paredes, que representam histórias, momentos especiais [em que reformamos]: a chegada de um filho, uma união."

Envie para um amigo
Imprima este texto
 
 
 
 

webTexto é um sistema online da Calepino

Matéria impressa a partir do site da Ademi Rio [http://www.ademi.org.br]