Notícias do setor

Setor privado joga a toalha e aguarda definição do Minha Casa Minha Vida

Folha de São Paulo, Painel S.A., 29/abr

Por mais preocupante que seja a situação com a falta de recursos para o Minha Casa Minha Vida, o setor privado jogou a toalha: segundo empresários, não há mais o que fazer a não ser esperar e torcer.

O ministro do Desenvolvimento Regional, Gustavo Canuto, afirmou na última quarta (24) que a verba do governo para o programa acaba em junho.

Até lá, construtoras preveem que obras em andamento vão prosseguir, mas que novos projetos dificilmente vão sair do papel.

Mãos atadas A expectativa do setor é que o governo suplemente o MCMV, diz José Carlos Martins, presidente da Cbic (câmara da construção). "Não tem o que fazer, o que deu foi garantir até junho. Agora é esperar a Previdência para negociar depois."

Suspense A indefinição atrapalha principalmente os segmentos com maior subsídio do governo, como as faixas 1 e 1,5, afirma André Campos, presidente da Emccamp.

Sem... Enfrentar problemas financeiros no programa não é algo exatamente novo, segundo Luciano Amaral, diretor-geral da incorporadora Benx, do grupo Bueno Netto.

Novidade

"Quer trabalhar com MCMV? Então é preciso entender que ele faz parte do orçamento do governo, de um banco estatal, e que às vezes há percalços. Por exemplo, todo ano em outubro e novembro há contingenciamento. O empresário está preocupado, mas não parou ainda", afirma.


Envie para um amigo
Imprima este texto
 
 
 
 

webTexto é um sistema online da Calepino

Matéria impressa a partir do site da Ademi Rio [http://www.ademi.org.br]