Notícias do setor

Ringue: seguro habitacional

O Estado de S. Paulo, Coluna do Broadcast, 12/nov

Ao menos o ressegurador IRB Brasil Re, a francesa CNP, a japonesa Tokio Marine e a BB Seguridade estão na disputa final do ramo de seguro habitacional da Caixa Seguridade, que concentra os negócios de seguros do banco público. O prazo para envio da oferta não vinculante, que serve de passaporte para comprar o negócio, terminou ontem. O passo é fundamental para a Caixa Seguridade colocar os pés na Bolsa, o que é esperado para o início do ano que vem, possivelmente em fevereiro.

Eu quero. Considerado a "joia da coroa", o seguro habitacional tende a ser um dos ramos mais disputados da companhia pelo volume de negócios em questão, considerando que a Caixa Econômica Federal é líder em financiamento imobiliário, com quase 70% desse mercado. O IRB deve disputar o ativo ao lado de um ressegurador internacional. Os demais players estão na batalha sozinhos.

Bolo todo. No total, foram oferecidas oito linhas de negócios ao mercado, além das três que a Caixa já acertou com a sócia CNP. Hoje, a CNP detém exclusividade no balcão e topou pagar R$ 7 bilhões por um novo contrato de 25 anos. As linhas de negócios à venda são: assistência 24 horas, automóvel, capitalização, consórcio, saúde, odontologia, grandes riscos e, por fim, habitacional e residencial. Procurada, a Caixa Seguridade não comentou. IRB, Tokio, CNP e BB Seguridade também não se manifestaram.

Envie para um amigo
Imprima este texto
 
 
 
 

webTexto é um sistema online da Calepino

Matéria impressa a partir do site da Ademi Rio [http://www.ademi.org.br]