Notícias do setor

Em busca de agenda positiva, governo vai anunciar mais 30 obras

O Estado de S. Paulo, Amanda Pupo e Julia Lindner, 02/jul

Em busca de uma agenda positiva em meio à crise econômica desencadeada pela pandemia do novo coronavírus, o governo federal deve anunciar hoje que pretende inaugurar mais de 30 obras públicas de infraestrutura neste segundo semestre do ano, com investimentos que somam cerca de R$ 4 bilhões.

Executados pelo Ministério da Infraestrutura, os empreendimentos envolvem o setor portuário, de rodovias e aeroportos, e devem se somar a outras 36 inaugurações feitas entre janeiro e junho deste ano.

Entre as entregas, estão cinco instalações portuárias na região Amazônica; lotes de pavimentação na Transamazônica; conclusão de pontes sobre o Rio São Francisco, Rio Madeira e Rio Parnaíba; reforma no aeroporto de Congonhas; e mais lotes de duplicação da BR-381, em Minas Gerais - que está entre as rodovias com o maior número de acidentes do Brasil.

Se no primeiro semestre as inaugurações ficaram restritas a mensagens comemorativas nas redes sociais - em razão da pandemia -, para os próximos meses o governo organiza uma agenda de visitas aos Estados, em parceria com os parlamentares da base. A ideia é que o presidente Jair Bolsonaro também participe desse cronograma.

O assunto foi tema de reunião na semana passada entre o ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, e o líder do governo na Câmara, Vitor Hugo (PSL-GO). Logo depois do encontro, o ministro adiantou o plano nas redes. "Organizaremos uma agenda de inaugurações nos Estados prestigiando a base e com a presença do presidente @JairBolsonaro", disse Freitas.

O ministério também deve divulgar hoje o balanço das 36 inaugurações feitas no primeiro semestre deste ano, que contaram com R$ 3,5 bilhões de investimento público. Apesar dos planos dentro do Pró-Brasil de incrementar o orçamento da pasta para aplicação em obras públicas, a conclusão dos empreendimentos no segundo semestre será feita sem recursos extras. O orçamento do Ministério da Infraestrutura para 2020 é de cerca de R$ 8 bilhões.

Os números são comemorados dentro da pasta, já que a previsão é de repetir o feito do ano passado e executar quase que a totalidade dos recursos previstos no orçamento.

Relacionamento. O cronograma de inaugurações com a participação de Bolsonaro, prestigiando parlamentares da base, ocorre no contexto da nova interlocução do Planalto com o Congresso, que conta também com a distribuição de cargos. Na última sexta-feira, ao lado de deputados do Centrão, o presidente fez uma rápida passagem pela Região Nordeste e inaugurou parte da Transposição do Rio São Francisco, projeto iniciado ainda em 2007, durante o governo de Luiz Inácio Lula da Silva.

Além de buscar ganhos políticos com a entrega de equipamentos e a conclusão de obras em diferentes regiões do País, Bolsonaro tem alinhado o discurso para reforçar a ideia de que está ao lado do povo mais humilde. Na última terça-feira, ele convidou os presidentes da Câmara, Rodrigo Maia (DEMRJ), e do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), para acompanhá-lo nos deslocamentos pelo Brasil.

Envie para um amigo
Imprima este texto
 
 
 
 

webTexto é um sistema online da Calepino

Matéria impressa a partir do site da Ademi Rio [http://www.ademi.org.br]