Notícias do setor

Itaú segue bancos e também reduz juro do crédito imobiliário

O Estado de S. Paulo online, Aline Bronzati, 22/mai

O Itaú Unibanco anunciou nesta segunda-feira nova redução nos juros do crédito imobiliário. Com a mudança, que começa a valer a partir de amanhã, dia 22, a taxa mínima no Sistema Financeiro da Habitação (SFH), que usa, principalmente, o dinheiro da poupança, passou de 9% ao ano para 8,8% ao ano mais taxa referencial em ambas as situações. Já nas linhas do Sistema de Financiamento Imobiliário (SFI), com recursos de mercado, a nova taxa será a partir de 9,3% ao ano ante 9,5% anteriormente mais taxa referencial.

Tijolo por tijolo

Folha de São Paulo, Mercado Aberto, 22/mai

O nível de emprego na construção civil subiu 0,4% em março na comparação com fevereiro, segundo o Sinduscon-SP (sindicato patronal) e a Fundação Getulio Vargas. Foram quase 9.000 novas vagas, o que, para um setor que emprega 2,3 milhões de pessoas, é praticamente estagnação, afirma José Romeu Ferraz Neto, presidente da entidade.

Paralisadas há três meses, obras da Linha 3 do VLT são retomadas

O Globo, Rio, 22/mai

Após três meses paradas, as obras de implantação do último trecho do VLT do Centro, que ligará a Central do Brasil ao Aeroporto Santos Dumont, retomadas na última sexta-feira, começam a alterar o fluxo de algumas vias da região. Para implantar a Linha 3, já está interditado o trecho da Avenida Marechal Floriano entre a Avenida Tomé de Souza e a Rua Camerino. Na próxima sexta-feira, o bloqueio chegará à Marechal Floriano entre as ruas Camerino e Uruguaiana. Vias que cortam a Marechal Floriano também terão os sentidos de mão invertidos ou duplicados. 

Mapa do tesouro

O Globo, Poder em Jogo, 22/mai

Mesmo diante de uma onda de pessimismo na economia, o presidente do BNDES, Dyogo Oliveira, tenta espalhar boas notícias. Por onde passa, diz que o banco está cheio de dinheiro para emprestar. Assim que souberam, representantes da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC) foram a seu gabinete. Queriam saber de Dyogo como avançar em mecanismos de garantia para pegar os empréstimos, pois muitas empresas ainda estão em dificuldade diante da crise. O cofre do BNDES está mesmo cheio - cerca de R$ 50 bilhões em caixa.

Consumo brasileiro de aço mantém ritmo de reação

Valor Econômico, Renato Rostás, 22/mai

Mesmo com um tropeço em abril, a demanda brasileira por aço continua em recuperação, mostram os números do Instituto Aço Brasil que serão publicados hoje. Em 12 meses, até abril, o consumo aparente de produtos siderúrgicos - a somatória de vendas internas das empresas mais importações - totalizou 20 milhões de toneladas. A última vez que o volume foi tão grande, em comparação anualizada, foi em fevereiro de 2016.

 
 
 
 

webTexto é um sistema online da Calepino

Matéria impressa a partir do site da Ademi Rio [http://www.ademi.org.br]