14 de junho de 2024

Associados ADEMI

O fenômeno do apartamento de 38 milhões de reais do Leblon
em Veja Rio, 14/junho

Viralizou recentemente na internet o anúncio de venda de um apartamento no Leblon, luxuoso bairro da capital do Rio de Janeiro, oferecido por 38 milhões de reais. Apesar do valor de venda ser bem alto, não chega a surpreender, já que outros apartamentos Brasil afora são ofertados a valores ainda mais altos (em alguns casos, até o dobro). O que causa espanto, no entanto, é quando se calcula o valor do metro quadrado: mais de 133 000 reais, já que a metragem do imóvel é de 284 metros quadrados. Com isso, o imóvel se tornou, proporcionalmente, a residência mais cara à venda na cidade. O endereço da propriedade é o Edíficio Tom, da construtora Gafisa, que está no final de sua obra e deve ser entregue até o final de julho desse ano.

Notícias

Mudanças à vista na Barra: para viabilizar reforma de estádio do Vasco e novo autódromo, prefeitura oferece bônus para construtoras
em O Globo, 13/junho

Em discussão final na Câmara Municipal do Rio, projetos da prefeitura buscam viabilizar a reforma do estádio de São Januário, na Zona Norte, e a construção de um novo autódromo internacional, em Guaratiba, na Zona Oeste. Os textos preveem uma espécie de bônus imobiliário para investidores que pode mudar a paisagem de outros pontos da cidade. Esse mecanismo vai permitir, em troca da adesão às obras dos dois equipamentos esportivos — um que faz parte da história da cidade e o outro ainda em fase de projeto —, a construção de novos prédios residenciais com gabarito acima do que é hoje autorizado pela legislação no entorno da Avenida das Américas, na Barra da Tijuca, na Zona Oeste da capital, e em parte da Zona Norte.

O que é o mais valerá, aprovado por vereadores em primeira discussão
em Veja Rio, 13/junho

A Câmara de Vereadores aprovou nesta terça (11), em primeira discussão, uma nova lei de mais valia, apelidada de ”mais valerá'. Essa lei autoriza donos de imóveis residenciais e comerciais a aprovarem projetos com um andar a mais que o permitido pela legislação municipal em toda a cidade do Rio de Janeiro, desde que os responsáveis paguem uma taxa proporcional à valorização imobiliária para a prefeitura. O texto, aprovado por 35 votos a 10, ainda será analisado em uma segunda discussão, provavelmente ainda neste semestre, e receberá emendas do poder executivo.

Setor imobiliário vê correção do FGTS pela inflação como menos danosa
em Valor Econômico, 12/junho

A decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) em modificar a remuneração do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) de forma que ela alcance pelo menos a inflação foi bem recebida pelo setor imobiliário, que seria o mais afetado caso prevalecesse o voto de equiparar o rendimento do fundo à poupança. Para Luiz França, presidente da Associação Brasileira das Incorporadoras Imobiliárias (Abrainc), a decisão garante a sustentabilidade do FGTS. As entidades do segmento consideram que a equiparação ao rendimento da poupança tiraria recursos do programa Minha Casa, Minha Vida (MCMV), usados para financiar a produção e subsidiar os compradores.

Mudança na remuneração do FGTS pode abrir caminho para crédito mais barato, diz Daniel Calderon
em CNN Brasil, 13/junho

O sócio-diretor da Calderon Contabilidades, Daniel Calderon, disse nesta quinta-feira (13) que a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) em corrigir as contas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), pelo menos pela inflação medida pelo IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo), vai impactar diretamente no financiamento imobiliário em geral. “O crédito imobiliário impacta muito nesse mercado e essa decisão do STF vai refletir em todos os integrantes deste setor, como as incorporadoras, investidores e empreendedores”, afirma.

Cresce a intenção de compra de imóveis entre investidores brasileiros
em Monitor Mercantil, 13/junho

A Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (Anbima), em colaboração com o Datafolha, lançou os resultados da 7ª edição do Raio X do Investidor Brasileiro, revelando tendências significativas nas decisões financeiras dos brasileiros em 2023. Pelo terceiro ano consecutivo, a pesquisa destaca um aumento na intenção dos investidores brasileiros de adquirir imóveis utilizando os rendimentos de aplicações financeiras.

Nest cria área de alternativos e capta fundo imobiliário
em Valor Econômico, 14/junho

A Nest Asset Management pretende captar até R$ 500 milhões na sua estreia no segmento de fundos imobiliários. Se for bem-sucedida, a gestora vai elevar o seu patrimônio a um outro patamar, para a casa do R$ 1,2 bilhão. A oferta é simbólica da construção de uma área de investimentos alternativos. Para ajudar nessa empreitada, a gestora, que tem na sociedade o empresário Roberto Justus, trouxe como sócio Fabio Passos, executivo que passou mais de uma década na Indosuez Wealth Management, do Crédit Agricole, operação vendida para o Banco Safra. Antes, ele esteve na Bawn Investments, na Swiss Capital e no Petros.